Fiz a manutenção do extintor, mais a empresa de manutenção não trocou o pó, isso pode?

Quanto a essa pergunta, se deve ou não aproveitar o pó da EXTINPEL a Portaria do INMETRO nº 412 de 24 de outubro de 2011 em seu Artigo 11 diz o seguinte:

“O agente pó para extinção de incêndio, utilizado na recarga, deve estar registrado no Inmetro, em conformidade com o RAC aprovado pela Portaria Inmetro vigente e deve estar acompanhado do certificado fornecido pelo fabricante/importador. Além disso, a seleção do pó é de responsabilidade da empresa de serviços de inspeção técnica e manutenção de extintor de incêndio registrada, devendo o mesmo apresentar características compatíveis com as especificações técnicas do fabricante/importador do extintor de incêndio, de modo que se mantenha o desempenho original do extintor.” (N.R.)  

Também no item 5.3.6.1 da Portaria INMETRO 005 de 05 de janeiro de 2011 diz que:

“O reaproveitamento do agente extintor deve estar condicionado à observância dos seguintes requisitos:

  1. a) O extintor de incêndio tenha sido originalmente lacrado de fábrica;
  2. b) A última manutenção tenha requerido a abertura do extintor de incêndio e está tenha sido realizada pela mesma empresa que está realizando a sua manutenção;
  3. c) A empresa de manutenção possua certificado, fornecido pelo fabricante/importador do pó para extinção de incêndio a ser reaproveitado;”.

Lembrando que o pó BC FCV 95% e ABC FCV 95% fabricado pela EXTINPEL tem garantia de 5 anos, dentro de sua barrica hermeticamente fechada e livre de umidade.